Edição impressaConfira a última edição impressa

Borda da Mata passa a fazer parte de mais um caminho religioso: “Caminho de Nhá Chica”

Cidade será a primeira parada da recém-criada rota de peregrinação ‘Caminho de Nhá Chica’. Ela parte de Inconfidentes até Baependi, por um trecho de 250 quilômetros que envolve 14 municípios. Ato inaugural do caminho está previsto para 14 de junho.

Borda da Mata está no caminho de mais uma rota religiosa. A cidade será a primeira parada do recém-criado “Caminho de Nhá Chica”, que parte de Inconfidentes e segue por um trecho de 250 quilômetros até Baependi. Ao todo, o caminho envolve 14 cidades.
Uma caminhada inaugural marcará o início da rota no dia 14 de junho, quando os peregrinos partirão da Igreja Matriz de Inconfidentes até o marco zero do caminho: a Capela Nhá Chica, na zona rural da cidade. Uma missa será celebrada no local, inaugurando oficialmente a rota de peregrinação.
No dia seguinte, em 15 de junho, partirá da capela o grupo de peregrinos que vai percorrer pela primeira vez a rota traçada em homenagem à beata. “Esperamos que as pessoas possam usufruir desse caminho como forma de desenvolver a espiritualidade. É também um trabalho para desenvolver o turismo religioso”, conta o jornalista Valmei Bueno, um dos idealizadores da rota.
Esta será a terceira rota religiosa que inclui Borda da Mata. O município já integra o ‘Caminho da Prece’ e o ‘Caminho da Fé’. Além de manter fortes vínculos com a religiosidade e cultura local, as rotas são um dos eixos de desenvolvimento do turismo na cidade, que recebe milhares de peregrinos todos os anos. Fiéis e turistas que perfazem os trechos movimentam hotéis, restaurantes e o comércio em geral, com forte impacto econômico no município.
Capela devotada a Nhá Chica inspirou a criação do caminho
Francisca de Paula de Jesus, a Nhá Chica, nasceu em São João Del Rei, em 1810, e viveu quase toda a sua vida em Baependi, onde tornou-se conhecida, ainda em vida, como Santa e mãe dos pobres. Por sua vida devotada à caridade e à Igreja foi beatificada em maio de 2013 pela Santa Sé católica. Ela é considerada a primeira mulher brasileira descendente de escravos a receber este reconhecimento da Igreja Católica.
Foi logo após a beatificação que surgiu a ideia de construir uma capela para Nhá Chica, em Inconfidentes. A homenagem se materializou em julho de 2017, no Bairro Roma, zona rural do município, em uma área particular. Não por acaso, a capela foi erguida no quilômetro 230 do Caminho da Fé, rota religiosa que inspirou os criadores do trajeto que homenageia a beata de Baependi.
A construção resultou de diversos mutirões de fieis, esforço que deu forma a uma arquitetura rústica, pensada assim para reproduzir a antigas casas de Minas Gerais. No dia 20 de julho de 2017, a capela recebeu as bênçãos do pároco de Inconfidentes, padre Antônio Brentegani. A época, o religioso ressaltou a simplicidade de Nhá Chica e a nova possibilidade aberta aos peregrinos com a construção da capela: “Aqui os peregrinos vão rezar e conhecer melhor a vida e as virtudes desta mulher simples”, considerou.
Mas a devoção por Nhá Chica levou os fiéis a projetarem um novo passo. Durante uma das missas de celebração de sua beatificação, surgiu a ideia de criar o trajeto religioso dedicado a ela. Desde então, o grupo se organiza em Inconfidentes para concretizar o projeto, o que finalmente acontecerá e junho.
Valmei conta que, nos últimos dias, o grupo já sinalizou parte do percurso. A expectativa dele é que o caminho se desenvolva aos poucos. “A gente lança a semente e os frutos vão nascendo com o tempo. Com fé e com devoção de maneira voluntária”, ressalta.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam