Edição impressaConfira a última edição impressa

Como são eleitos os vereadores pelo quociente eleitoral

Muitas pessoas não entendem como funciona o quociente eleitoral e porque muitos candidatos com mais votos não são eleitos. Vou tentar explicar aqui neste texto como é que funciona, citando o exemplo de Borda da Mata nas eleições de 2020.

Primeiro você pega o número de votos válidos para Vereador e divide pelo número de vagas na Câmara Municipal. Em Borda da Mata, são 11 vagas e este ano teve 9.313 votos válidos para vereadores. Então, pega 9.313 dividido por 11 dá 846, ou seja, essa é quantidade de votos que um partido precisa ter para eleger um vereador, no caso o mais votado do Partido e a cada 846 votos do mesmo partido mais uma vaga é conquistada.  Depois, para preencher as vagas remanescentes usa a sobra destes 846 e o Partido que tiver a maior sobre elege mais um Vereador.

Nas eleições passadas, o Partido tinha que conseguir o coeficiente eleitoral para eleger um vereador, este ano mudou, não aceitando mais coligações e os Partidos que não atingissem os 846, neste caso aqui de Borda da Mata, entraria para disputar com os outros na maior sobra. Foi o caso do PP, que não atingiu o coeficiente, teve somente 843 votos, mas elegeu um, o Quirino Zé do Povo, pois foi considerada a maior sobra. Depois vem o PSDB, que conquistou 2.355 votos e fez dois de 846 e sobraram 663 votos, conquistando mais uma vaga, neste caso a Joseli Brandão, a terceira mais votada do Partido. Em seguida, o Avante fez 1.936 votos o que elegeu também dois de 846 votos e sobraram 244 votos, elegendo Jorginho que também foi o terceiro colocado do Partido. O Republicanos somou 1.738 votos, o que elegeu dois dentro do coeficiente de  846 votos e com a sobra de 46 votos, não conseguiu eleger um terceiro candidato. Depois vem o PROS que conquistou 1.056 votos e atingiu o coeficiente de 846 para eleger um vereador e teve uma sobra de 210 votos, 34 a menos que a sobra do Avante, portanto não conseguiu eleger o segundo colocado. Para passar a vaga do Avante para o PROS, a soma do PROS  teria que ter mais 35 votos para eleger Carlinho do Gás com 138 votos ou se o Lua conseguisse 146 votos, a sobra do PROS passava para 245,ou seja, um voto a mais que a do Avante e neste caso tiraria a vaga do vereador reeleito Jorginho que teve 257 votos. Por isso, que às vezes um vereador com menos votos em um Partido é eleito do que outro que teve mais votos em outro Partido.

Já o Podemos teve 1001 votos nas urnas e fez somente um também com coeficiente de 846, já que a sobra foi de 155 votos e aí neste caso não conseguiu também fazer um segundo vereador, mesmo o segundo colocado tendo 243 votos.

Em Borda da Mata, o vereador eleito com menos votos ainda obteve 220 votos, mas teve mais três vereadores que obtiveram  mais de 220 votos que não foram eleitos. E devido essas regras, Borda da Mata poderia ter vereador eleito com 146 votos, deixando  mais 9 vereadores com mais votos, sem serem eleitos.

Em todas as eleições, acontecem de vereadores terem bastantes  votos em um partido e não serem eleitos e se tivesse em outro, tinham conseguido. Uns são fiéis e não mudam, mesmo que percam com bastantes votos, já outros, erram na escolha,  pois às vezes os partidos, estão do mesmo lado para a eleição de Prefeito.

Mas enfim,  o importante é participar e continuar lutando pelos ideais, pois uma hora, consegue. Parabéns a todos que participaram e aos eleitos boa sorte para que possam desenvolver um ótimo mandato.

A redação.

 

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam