Edição imprensaConfira a última edição impresa

Homenagem ao nobre amigo Doutor Vavá

“Não se perturbe vosso coração… Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito” (Jo, 14,1-2)
A população bordamatense acompanhou, com grande apreensão, a notícia de que o Dr. Vavá, com problemas respiratórios, estaria gravemente enfermo e fora internado na UTI do Hospital de Mogi Guaçu/SP, sob a direção de seu filho médico, Carlos Augusto. Foram duas semanas de acompanhamento virtual, com notícias pelo “facebook” e correntes de preces a Deus por parentes e amigos, todos rogando pela sua recuperação. Todavia, o Senhor julgou-o pronto para retornar à Casa do Pai e, em seus insondáveis desígnios que não podemos questionar, houve por bem chamá-lo, na tarde do dia 14 de novembro.
Dr. Dorival Carlos Borges era filho de Delfino Teodoro Borges e Angelina Ferreira Borges. Natural de Borda da Mata, nasceu em 21 de março de 1946. De sua família de origem teve quatro irmãos: Cantalício (Licinho) e Valdira (vivos); Aroldo e Valdina (falecidos).
Casou-se com Maria de Fátima dos Santos Borges, de cujo enlace provieram seus descendentes: Carlos Augusto, casado com Carla, casal que lhe deu as netas Luíza e Laura; Carlos Henrique, casado com Júlia, nascendo destes o neto Pedro Henrique e Carlos Eduardo, falecido em trágico acidente automobilístico, que teve com Ruthielen o descendente Eduardo Augusto.
Fez seus estudos de ensino fundamental no Colégio Nossa Senhora do Carmo desta cidade e o ensino médio no Colégio São José de Pouso Alegre. Após o vestibular, cursou Odontologia na Universidade de Piracicaba (UNICAMP) até o quarto ano. Após ter sofrido acidente automobilístico, decidiu cursar medicina, doutorando-se em 1974 pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas. Mais tarde, fez residência médica em Geriatria e Gerontologia em São Paulo, concluindo em 1989.
Após concluir residência, regressou para Borda da Mata, onde iniciou sua vida profissional, junto ao Hospital Geriátrico Lar Irmã Maria Augusta. Nele atuou como diretor por mais de duas décadas. Enquanto esteve sob sua fecunda e dinâmica direção, aquele hospital bem cumpriu sua missão de salvar vidas. Atualmente vinha atuando em consultório particular, em sua clínica UGE (Unidade Geriátrica Especializada), nesta cidade.
Homem temente a Deus, originário de tradicional família presbiteriana de nossa cidade, em sua vida foi obediente aos ensinamentos de Jesus.
Custa acreditar que, após árdua e incansável batalha pela vida, infelizmente, perdemos nosso querido médico, Doutor Vavá. Sua morte deixa uma lacuna insanável no corpo clínico da medicina exercida por ilustres médicos em nossa querida terra. Consideramos irreparável sua perda, porquanto fará muita falta ao povo bordamatense, especialmente aos idosos em razão de sua especialidade como gerontologista de notável conhecimento e fama na região sul mineira. Não era um médico comum, mas dedicado à profissão que amava. Inspirava confiança, atendendo com atenção, carinho e empenho, examinando cuidadosa e detalhadamente os seus pacientes.
Dr. Vavá ainda militou na vida política. Foi eleito Prefeito de Borda da Mata nas eleições de 1996. Governou o município de 1997 a 2000, vivenciando o “servir” ao povo de sua cidade que tanto amava. Inovou no atendimento diário aos munícipes, trazendo seu gabinete para o saguão de entrada da Prefeitura. Desse modo, ficou acessível a todos para suas reivindicações.
Dentre suas inúmeras obras, como a criação da Escola Municipal Diva Ribeiro dos Santos e asfaltamento de diversas vias públicas, sobressai sua coragem de ter privatizado os serviços de água e esgoto de nossa cidade, confiando-o à COPASA. Até então a situação do abastecimento de água apresentava estado de autêntica calamidade pública. Água de pouco volume, amarela, suja, causadora de doenças e infecções. Não fosse ele arauto do progresso, desfraldando a bandeira do “FUTURO FORTE” em sua campanha política, como homem de visão, Borda da Mata não teria avançado e progredido nos últimos anos, com o florescimento de seu parque industrial, tornando-se a famosa e formosa “CIDADE DOS PIJAMAS”.
Na administração municipal de 2013 a 2016 foi coordenador e diretor do Pronto Socorro Municipal, prestando inestimáveis serviços públicos à população.
Com inteira razão, seu corpo foi também velado no saguão da sede da Prefeitura Municipal de Borda da Mata, ocasião em que pode receber merecidas homenagens do povo e das autoridades constituídas.
Outro aspecto de sua preciosa vida foi o imenso amor e dedicação à sua querida família. Homem de bons princípios deixou-se consumir pela preocupação de assegurar o melhor, à sua esposa, aos filhos e netos, do que somos testemunhas.
Este foi o cidadão Dorival Carlos Borges, homem que muito amou e engrandeceu Borda da Mata, como seu filho abençoado.
Nosso amigo, sem dúvida, deixa notável legado em sua preciosa vida particular e pública. Este legado poderia ser sintetizado na sua honradez, amor a Deus, ao próximo, à família e ao trabalho com dignidade.
No cotidiano da vida, nos defrontamos com a morte, esse acontecimento inevitável e democrático do qual ninguém escapa. Mas na verdade, para os cristãos, que crêem nas revelações de Jesus, a morte não existe. De fato, a vida não nos é tirada. Desfeito nosso corpo mortal, filhos de Deus que somos, sobrevivemos. Teremos morada eterna nos céus. Esta é a grata revelação do Mestre, no Evangelho escrito por João, 14, 1-2.
Portanto, Dr. Vavá não morreu, porque o espírito é imortal. Se pudéssemos, nossos filhos e entes queridos jamais morreriam. Não podemos impedir que isto aconteça, mas Deus pode. Nosso Pai Todo Poderoso impede que a morte atinja, em definitivo, a nós, seus filhos. Assim, continuamos vivos porque o AMOR JAMAIS ACABA (1 Cor.13-8). Nossas vidas perduram nas moradas da Casa do Pai, como está revelado. Lá, onde estaremos todos juntos, convivendo em paz e totalmente felizes.
É certo que não adianta imaginarmos como serão estas moradas. Limita-nos nossa condição humana. Assim, adverte-nos o apóstolo São Paulo: “olhos jamais viram, nem ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu” (1ª Cor- 2,9).
Esta é a nossa esperança! Não se perturbem, pois, os nossos corações. Há razões de sobejo para nossa tristeza se converter em alegria. Não fosse a certeza da revelação do próprio Jesus, sentido algum existe, e foge à lógica da inteligência humana tudo acabar com a morte. Seria um autêntico absurdo! No universo a regra é a evolução. A apoteose imprescindível ao final da nossa vida terrena, com todas as lutas e por vezes sofrimentos, é descortinar-se a vida celeste que jamais termina. Paz e Felicidade sem fim!
Como conterrâneo agradecido do Dr. Vavá e, na certeza de interpretar também os sentimentos de seus parentes e inúmeros amigos, cumpro o dever de prestar-lhe este merecido tributo. Ao mesmo tempo, compartilho com sua digna esposa, filhos, netos e demais familiares do imenso pesar por tão grande perda!
Que Deus dê consolo à família enlutada e reserve ao amigo Vavá, no reencontro com seus entes queridos, toda a alegria, paz e felicidade na Casa do Pai!
Borda da Mata, 22 de novembro de 2017.

Gustavo Dantas de Melo

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam