Edição impressaConfira a última edição impressa

Mais da metade dos pequenos negócios mineiros já preveem pegar empréstimos para se manterem no mercado

Pesquisa do Sebrae mostra que as empresas já sentem redução expressiva no faturamento e no volume de vendas

 

O isolamento social e a restrição de circulação das pessoas como medidas preventivas para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19), já estão provocando impactos negativos nos pequenos negócios mineiros. De acordo com uma pesquisa feita pelo Sebrae, 89% dos empreendimentos de Minas Gerais de pequeno porte já registram queda no faturamento e 34% só conseguirão manter seus negócios em funcionamento por mais um mês. É o que mostra o estudo feito entre os dias 20 e 23 de março com 788 empresas em todo estado. 

 

Segundo a pesquisa, os pequenos negócios mineiros sentiram uma redução de 66,4% no volume de vendas registrado na última semana em relação a um período normal.  A perda, em termos de faturamento mensal, já chega a mais de 50% para a maior parte dos entrevistados (57%).  “Não há dúvida que essa crise já atinge o equilíbrio financeiro das empresas e ameaça a sobrevivência de milhões de pequenos negócios”, afirma o Superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha.

 

Com a expressiva queda nas vendas, 52% dos empreendedores já preveem que precisarão solicitar empréstimos para manter o negócio em funcionamento sem gerar demissões. De acordo com o estudo do Sebrae, em média 6,4 pessoas, entre familiares, empregados fixos e temporários, formais e informais, estão envolvidas atualmente com as empresas.

 

Outro impacto da pandemia é o aumento dos preços com matéria-prima. Trinta e um por cento dos empresários mineiros afirmaram que já sentem custos mais altos que o normal. Porém, a maioria dos entrevistados ainda não perceberam o aumento dos custos com pessoal e aluguel (69% e 87% dos entrevistados, respectivamente)

 

Questionados sobre quanto tempo conseguirão manter seus negócios abertos, sem fechá-los permanentemente, 34% dos entrevistados disseram que aguentariam até 1 mês, 31% de 2 a 3 meses, 12% de 3 a 6 meses, e apenas 2% conseguiram se manter no mercado por mais de 6 meses.

 

“Os dados da pesquisa mostram a urgência em medidas efetivas para ajudar os pequenos negócios, que hoje já são 99% de todos os empreendimentos no estado e que geram mais da metade dos empregos formais. O Sebrae tem atuado junto às diferentes instâncias de governo, ao Congresso e ao Judiciário para o desenvolvimento dessas soluções”, explica o Superintendente do Sebrae Minas.

 

 

IMPACTO DO CORONAVÍRUS NOS PEQUENOS NEGÓCIOS MINEIROS

 

Como o seu faturamento mensal está sendo afetado?

Aumentou: 3%

Permaneceu igual: 3% 

Diminuiu: 89%

Não sabe ainda/não quis responder: 5%

 

Quanto foi a perda em termos de faturamento mensal até este momento?

Mais de 50%: 57% dos entrevistados        

41% a 50%: 15% dos entrevistados        

31% a 40%: 11% dos entrevistados        

21% a 30%: 6% dos entrevistados        

11% a 20%: 5% dos entrevistados        

6% a 10%: 2% dos entrevistados        

Até 5%:1% dos entrevistados        

 

Como o seu negócio está sendo afetado, até este momento, pelo coronavírus em termos de faturamento mensal?

Aumentou: 3% dos entrevistados

Permaneceu igual: 3% dos entrevistados

Diminuiu: 89% dos entrevistados

Não sabe ainda/não quis responder: 5% dos entrevistados

 

Por conta do Coronavírus, o que está acontecendo com o seu negócio, em termos de:

 

Custos com matérias-primas

Aumentou: 31% dos entrevistados        

Diminuiu:18% dos entrevistados        

Permaneceu igual: 38% dos entrevistados        

Não sabe:13% dos entrevistados        

 

Custos com pessoal

Aumentou:16% dos entrevistados        

Diminuiu: 6% dos entrevistados        

Permaneceu igual: 69% dos entrevistados        

Não sabe:10% dos entrevistados        

 

Custos com aluguel

Aumentou: 5% dos entrevistados        

Diminuiu: 1% dos entrevistados        

Permaneceu igual: 87% dos entrevistados        

Não sabe: 7% dos entrevistados        

 

Você vai precisar de pedir empréstimos para manter seu negócio/empresa em funcionamento sem gerar demissões?

Sim: 52,5% dos entrevistados        

Não: 16,8% dos entrevistados        

Não sabe: 30,8% dos entrevistados        

 

Por quanto tempo acredita que possa manter seu negócio, sem fechá-lo permanentemente, com as restrições de movimentação de pessoas?

Até 1 mês: 34% dos entrevistados        

De 2 a 3 meses: 31% dos entrevistados        

De 3 a 4 meses: 8% dos entrevistados        

De 5 a 6 meses: 4% dos entrevistados        

Mais de 6 meses: 2% dos entrevistados        

Não sabe/não quis responder: 21% dos entrevistados        

 

Fonte: Sebrae Nacional/março de 2020

 

 

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam