Edição impressaConfira a última edição impressa

Se eu pudesse…

Se eu pudesse
Eu faria tudo para que ficasse aqui
Mas se eu soubesse
Como te atrair
É como se não houvesse
Jeito de te fazer ficar: então sinto a dor do teu partir

Mas ao me despedir de ti não desviei
Pelo contrário, meu olhar fixei
Pela primeira vez nos olhos realmente te olhei
Guardei o meu corpo, mas a alma eu desnudei
Porque minha boca dizia que o fim era necessidade
Mas meu olhar dizia o resto da verdade
Que apesar de necessário, não quero te ver partir
Se eu pudesse escolher de novo
Nesses meus eternos renovos
Ainda seria você que escolheria para estar aqui

Se eu pudesse
Eu faria tudo para que ficasse
Mas se eu soubesse
Como fazer que me amasse
Ou que pelo menos que não se assustasse
Se eu fosse suficiente para que você arriscasse
Ah! Se eu soubesse como resolver esse impasse

Se eu pedisse perdão toda vez que eu errasse
Quando preciso fosse, a gente se perdoasse
Se para os problemas solução a gente junto encontrasse
Na alegria e na dor a gente não se deixasse
Se apesar das diferenças a gente se amasse
E as feridas do passado a gente junto curasse
Não prometeria perfeição, mas se eu me esforçasse
A gente só saberia se tentasse

É como se não houvesse
Jeito de te fazer ficar
E se suficientes não fossem
O meu jeito doce
E o meu modo de amar
Queria ter te conhecido
Antes de alguém te machucar
Talvez teria te convencido
Que eu só quero te cuidar
E que aqui ao meu lado
Sem ser traído, sendo muito amado
Podia ser o teu lugar  Quando não se pode viver um amor,
Causa no peito tão grande dor
Ela pinga dos olhos como o orvalho de uma flor
E eu nunca me senti assim
Porque eu percebi no fim
Os meus olhos viam
Que os teus diziam
Que também gostam de mim.

Ddsa Carvalho
Borda da Mata

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam