Edição impressaConfira a última edição impressa

Varejo prevê aceleração de vendas em fevereiro e março de 2013

De acordo com o IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas), a expectativa é que as vendas de fevereiro aumentem 6,1% e as de março, 6,2%, em relação ao ano passado

  Apesar de constatar um ritmo de vendas menor para dezembro e janeiro (2,2% e 4,0% de alta, respectivamente), o IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas), estudo realizado mensalmente com os associados do IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo), estima uma retomada nas vendas, com o aumento real de 6,1% em fevereiro e 6,2% em março, comparando o mesmo período de 2012.

A partir de fevereiro, o segmento de bens Não-Duráveis deve registrar a maior alta, com 11,2%. Para março, a estimativa é continuar com taxas de dois dígitos, registrando 10,1% de crescimento. O desempenho desta categoria tem o maior peso nas medições do IBGE e contribuem entre 40% e 50% no índice da Pesquisa Mensal do Comércio.

Já a área de bens Semi-Duráveis, que vinha apresentando um desempenho mais comedido em relação aos Não-Duráveis tende a melhorar e retomar o crescimento também a partir de janeiro. A projeção é de expansão entre 4,1% e 8%, de dezembro de 2012 a março de 2013.

No geral, as estimativas para o setor varejista em 2012 não tiveram alterações significativas e o Varejo deve apresentar crescimento real de vendas superior a 2011 (+ 6,7%).

Ainda segundo o IAV, o varejo teve resultados satisfatórios, apoiado na expansão do crédito, do mercado de trabalho e da renda. Para 2013, é esperado um melhor desempenho econômico brasileiro em relação ao ano passado, fator que deve estimular a atividade varejista no País.

 

Sobre o IAV-IDV (Índice Antecedente de Vendas)

            Criado em outubro de 2007, o IAV-IDV é um índice que consolida a evolução das vendas efetivamente realizadas pelos associados do IDV (Instituto para o Desenvolvimento do Varejo), com o intuito de projetar expectativas para os próximos meses e, assim, servir de base de informação para a tomada de decisão dos executivos do varejo.

Para se chegar aos números apresentados pelo IAV-IDV, as empresas associadas reportam seus próprios resultados e suas expectativas sobre vendas no futuro.Em seguida, estas respostas são ponderadasde acordo com o respectivo porte de cada empresa, para que se alcance indicadores como o volume de vendas e o faturamento nominal. Os dados extraídos pelo indicador têm permitido uma visualização mais ampla do comportamento do mercado para um período futuro de até três meses.

 Sobre o IDV

            O IDV (Instituto para Desenvolvimento do Varejo) representa 37 empresas varejistas de diferentes setores, como alimentos, eletrodomésticos, móveis, utilidades domésticas, produtos de higiene e limpeza, cosméticos, material de construção, medicamentos, vestuário e calçados. Atuante em todo o território nacional, o IDV tem como principal objetivo contribuir para o crescimento sustentável da economia brasileira, além do desenvolvimento do varejo ético e formal.

            Conheça as empresas associadas: Bob´s, BR Home Centers, C&A, C&C Casa e Construção, Decathlon, DPaschoal, Fnac, Fototica, Grupo Dimed-Panvel, Grupo Pão de Açúcar, Hering, Insinuante, Itapuã Calçados, Kalunga, Leo Madeiras, Leroy Merlin, Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Lojas Cem, Lojas Leader, Lojas Renner, Lojas Riachuelo, Lojas Marisa, Magazine Luiza, mmartan, O Boticário, Paquetá, Pernambucanas, Polishop, Quero-Quero Casa e Construção, Raia Drogasil, Ráscal, Telhanorte, Tok&Stok, Walmart, Zelo e GS&MD- Gouvêa de Souza.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Protected by WP Anti Spam